‘Game of Thrones’: Condenado por assassinato, Bran perde direito de viajar no tempo As testemunhas não disseram muito mais do que ’Hodor’.

game-of-thrones-bran-white-walkers

acido

NORTE, WESTEROS – Um júri formado por oito defensores da Fé dos Sete considerou o adolescente Bran Stark, de 16 anos, culpado de homicídio doloso por ter forçado seu companheiro fiel e suas atuais pernas, Hold the Door (idade desconhecida), conhecido na comunidade como Hodor, a segurar uma porta para ele. O menino foi levado ao júri impopular depois de ter recusado um julgamento por combate. Essa foi a sua primeira opção, mas em um ato falho, quando perguntado quem lutaria por ele, Bran respondeu: “Hodor”.

Bran foi interrogado durante um verão inteiro sobre o crime, até que o inverno chegou e obrigou o júri a deliberar. Na versão do adolescente, ele estava privado de seus sentidos e fora de si, por culpa de um homem mais velho que estaria preso a uma árvore mágica e que ele chamou de Corvo de Três Olhos. No entanto, o suposto mandante do crime não foi encontrado pelos Patrulheiros para prestar esclarecimentos e Bran Stark foi julgado como adulto apesar de sua tenra idade. A Patrulha da Noite deu uma coletiva de imprensa para informar que não haviam indícios que corroborassem a versão de Bran e por isso eles não perseguiriam a hipótese do mandante idoso.

Uma das testemunhas da acusação, Meera Reed, deu depoimento dizendo que de fato Bran estava desacordado na hora do crime, mas que estranhamente ele não perguntou por Hodor depois de despertar. A menina, que na época estava apaixonada por Bran, disse que pela falta de questionamento ela pode concluir que Bran sabia o que tinha acontecido, e que teria tido participação no ocorrido. Meera aceitou testemunhar como parte de seu acordo com o Alto Pardal do Inferno para não ser indiciada como cúmplice por ajudar na fuga de Bran. Ela ainda falou “Eu gritei para o Hodor: ‘Hold the Door! Hold the Door!’, mas ele não precisava ter segurado. Ele tinha vontade própria. Foi como se tivesse enfeitiçado”.

O júri era presidido pelo Alto Pardal, que sentenciou Bran à perda de suas habilidades de viagem temporal e também de entrar na cabeça dos outros para fazer besteira, um poder conhecido como warg. O meritíssimo acrescentou quando leu a sentença: “O Sr. Bran Stark perdeu a única pessoa que aceitaria o carregar para cima e para baixo sem pedir nada em troca. Seus atos revelam-se cruéis e ele não é mais merecedor do poder que tinha. Além de tudo, parece que ele não sabe que nenhuma série de ficção foi bem sucedida ao lidar com viagens no tempo. Sr Stark, você nunca ouviu falar de De Volta para o Futuro – A Série Animada?” – se referindo a um programa que absolutamente ninguém viu.

Um dos jurados falou sobre sua decisão em anonimato: “O garoto é um filhinho de papai mimado. Achou que só porque ficou paralisado da cintura pra baixo poderia fazer o que quisesse com o pobre Hodor. Ele não merecia isso, era um cara legal, falador. Gostava muito de conversar com ele. Acredito que preso no calabouço, Bran vai poder pensar no que fez e se arrepender. E finalmente vai parar de avacalhar a linha do tempo de Game of Thrones, isso seria bom”.

Bran Stark é o 5º dos seis herdeiros da Casa Stark. Nenhum de seus irmãos apareceram para dar apoio ao réu.

Quem escreveu

Ana Carolina Nicolau
Uma caneca de café e um computador fazem meu mundo rodar. Criei o Take148 porque as consequências criativas da cafeína precisam ser compartilhadas. Eternamente dividida entre a televisão e o cinema. Tenho um diploma em Matemática, mas até agora ele só serviu pra me fazer parecer foda. Não que seja mentira.