Review: A Máquina parte para a briga em ‘Person of Interest’

'ShotSeeker' traz muitos tiros e uma grande revelação.

Críticas anteriores: 5.1 | 5.2 | 5.3 | 5.4

Comentários sobre Person of Interest de ontem à noite porque esse distintivo da Homicídios vai ficar ótimo na minha parede…

13 é definitivamente um número pequeno de episódios para os tradicionais casos da semana, então quando eles acontecem, precisam ser bem amarrados com o resto da série para funcionarem. ShotSeeker foi um sucesso nesse aspecto. O segundo episódio dessa semana conseguiu desenvolver um pouco a história central, ao mesmo tempo que nos apresentava uma nova tecnologia bem legal que poderá ser útil em algum momento e um número que se tornou refém dela.

O caso foi cheio de reviravoltas, algumas bem esperadas. Até eu, que literalmente acabei de começar a ver Person of Interest, saquei que era a Samaritan tentando fraudar o sistema de reconhecimento de tiros, então foi surpreendente que Finch só tenha descoberto no fim (mas ele estava preocupado com outras coisas, então vamos deixar essa passar). O mais brilhante é que nunca descobrimos porque a Samaritan queria que a pesquisa sobre uma forma de acabar com a fome no mundo não fosse divulgada. Será que ela é tão mal que simplesmente quer continuar a ver as pessoas morrendo de fome? Maldade não é burrice, então parece ter algo de mais misterioso nesse plano. Talvez isso volte em um outro momento, mas é mais intrigante se for só a série nos fazendo perguntas. O que realmente aconteceria se a fome acabasse? Finch até dá uma possível resposta sugerindo superpopulação, mas é uma pergunta que admite várias respostas, e que PoI esteja disposta a fazê-la é corajoso e diferente.

A trama paralela com Reese e Bruce trouxe a grande revelação de que Elias está vivo, mas para mim foi só um “Nossa, mais personagens que eu não conheço!”. No entanto, eu tenho uma pequena observação a fazer sobre isso: a cada dia parece mais equivocada a teimosia do Time Máquina em não abrir o jogo para Fusco. Ele está totalmente envolvido na bagunça toda, e agora o cara quem ele foi acusado de matar (e foi transformado em herói por isso) está vivo, então é só uma questão de tempo para que a ignorância dele possa ser usada contra eles.

Aconteceu muita coisa em ShotSeeker, mas a parte mais divertida (ou trágica) foi ver Finch criando uma gaiola de Faraday para colocar a Máquina e o bebê Samaritan para brigar. A Máquina perdeu de bilhões a zero, o que levou Root a sugerir que Finch a ensine mecanismos de defesa. Será mesmo uma causa perdida? (O monólogo da première não sai da minha cabeça). Ou será que de tanto apanhar a Máquina vai aprender a bater?

Essa é a mesma pergunta que eu fiz ontem sobre a situação de Shaw. E essa é a grande questão sobre as Inteligências Artificias, certo? Desconsiderando o pequeno detalhe de que uma se refere a um humano e outra a um computador, ambas falam sobre o mesmo dilema existencial: algum dia o Bem vencerá?

 

1×0 para mim: Depois de 4 episódios e alguns comentários em críticas anteriores, eu notei (sozinha!) que a abertura mudou! Foi uma mistura de Samaritan com Máquina, o que não pode ser indicativo de boa coisa…

2×0 para mim: Eu sei que o Reese é supostamente muito foda, mas ele bateu em três caras armados com um cabo de vassoura. Isso foi um pouquinho demais.

3×0 para mim: Agora que a Root mandou a real para o Número Perdido sobre os chefes dele, tenho a impressão de que ele vai voltar, e talvez até como um espião do Time Máquina dentro do Time Samaritan. Seria legal, hein.

4×0 para mim: Eu não conhecia o Bruce, mas conhecia o ator James Le Gros de Ally McBeal, e foi uma boa surpresa ver ele depois de tanto tempo. E idem para o pai da Veronica Mars = Elias = Enrico Colantoni.

https://www.wedgies.com/question/573c860a16c60b1c009deb68

RECOMENDADAS

Shopping Basket