7 músicas (e músicos) tudo a ver com cinema

suburbs

Como uma amante do cinema, não consigo imaginar algo melhor do que apreciá-lo em todas as suas mil e uma formas de ser. Melhor do que o cinema por si só, é o cinema acompanhado da música.

Uma indústria que se faz fortemente presente desde quando foi criada, lá nos anos de 1920, é a dos videoclipes. Os music videos possuem elementos básicos e similares aos da sétima arte, que juntam as artimanhas do audiovisual em um resultado compacto e expressivo.

Na década de 1980, surge a MTV, que mudou e expandiu de forma radical o cenário dos videoclipes no mundo inteiro. Mais recentemente, com a internet e o Youtube, muitas bandas se mostraram capazes após o lançamento de seus clipes na íntegra. Muitas delas ousaram na criação de clipes inspirados em obras que tanto amamos, convidando atores e diretores que também amamos demais. Daí segue uma listinha dos mais legais:

Here With Me – The Killers

Do álbum Battle Born, 2012
Dirigido por Tim Burton

A banda de Las Vegas liderada por Brandon Flowers tem uma vasta lista de videoclipes bem criativos e cinematográficos. Em Here With Me não é diferente. A banda já havia trabalhado com Tim Burton anos atrás, em 2009 no clipe da faixa Bones, que pertence ao álbum Sam’s Town.

Na história, vemos Winona Ryder, em mais uma colaboração ao lado de Tim, e Craig Roberts, novato nas telonas (e também nas telinhas). A performance do novo ator serviu como luva para a personalidade surreal do diretor. Winona vive uma atriz famosa, que é perseguida por um fã (o jovem Craig), que passa a idealizar sua vida junto da amada com um manequim.

O clipe ganha aquela melancolia cômica já conhecida no trabalho de Tim Burton, contando com personagens estranhos e a atmosfera sombria sempre presente nos personagens tristes e profundos, além de conter aquela estranheza que a gente tanto ama nos filmes do diretor.

Assista e ouça também:
Bones

My Valentine – Paul McCartney

Do álbum Kisses on the Bottom, 2012
Dirigido por Paul McCartney

A música pertence ao álbum Kisses on the Bottom, coletânea de covers gravados pelo ex-beatle. O clipe foi dirigido pelo próprio Macca, com o auxílio de Wally Pfister, diretor de fotografia vencedor do Oscar por seu trabalho no filme A Origem (de Cristopher Nolan, 2010). Essa não foi a primeira vez que Sir. Paul trabalhou ao lado de Natalie Portman. A atriz já fez parte de outro clipe do músico, Dance Tonight,de 2007, dirigido por Michael Gondry (Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças).

Depp, por sua vez, também sempre esteve ligado ao mundo da música. O ator já tocou com bandas como Black Keys, Pearl Jam, Alice Cooper, Oasis e Aerosmith. E cantores como Marilyn Manson, Eddie Vaddere e Keith Richards – esse último é amigo de longa data de Depp –, tendo, inclusive, interpretado o papel do pai de Jack Sparrow na franquia de Piratas do Caribe.

Além de ter tocado com vários dos feras do rock internacional, Depp também trabalhou como narrador de um documentário sobre a banda The Doors, intitulado When You’re a Strange, de 2009.

Assista e ouça também:
Dance Tonight
Johnny Depp feat. Eddie Vadder, no show beneficente Voices for Justice

The Suburbs – Arcade Fire

Do álbum The Suburbs, 2010
Dirigido por Spike Jonze

A parceria de Spike Jonze e a banda canadense Arcade Fire vem juntando uma legião de admiradores desde o primeiro encontro, na trilha sonora de Onde Vivem os Monstros, em 2009.

Mais tarde, Jonze volta a trabalhar com a banda no curta-metragem Scenes From the Suburbs, de 2011. O videoclipe é uma prévia do curta, que introduz o álbum The Suburbs, relembrando a infância e a juventude da maneira mais pura e turbulenta que essas podem ser. O curta foi apresentado no Festival Internacional de Berlim e foi bem recebido pelo público e pela crítica. Além da direção melancólica com tons claros e leves já conhecidos de Jonze, o roteiro também pertence ao diretor, junto aos irmãos e integrantes da banda, Win e Will Butler.

Dois anos depois, a parceria volta, novamente nas telonas, na trilha sonora do filme Her. Simples e delicada, rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Trilha Sonora, e a música The Moon Song, escrita por Jonze e interpretada por Karen O’ junto ao vocalista da banda Vampire Weekend, Ezra Koenig, também concorria pelo prêmio de Melhor Canção Original. Essa foi a segunda parceria de Karen O’ com o diretor. A primeira foi na trilha sonora de Onde Vivem os Monstros.

Spike Jonze dirigiu também o clipe da faixa Elektrobank, da banda The Chemical Brothers. No clipe encontramos um rostinho bem conhecido por aí, o de Sofia Coppola. Também é dele Buddy Holly, da banda americana Weezer; o vídeo mais popular dos Beastie Boys, Sabotage e também dois clipes do britânico Fatboy Slim: Weapon of Choice, com direito a Christopher Walken soltando a franga e tudo mais, e Praise You, dessa vez com direito ao próprio Spike Jonze soltando a franga. Os dois vídeos são demais.

Assista e ouça também:
The Moon Song
Praise You
Weapon of Choice

The Next Day – David Bowie

Do álbum The Next Day, 2013
Dirigido por Floria Sigismondi, 2013

O tão conhecido camaleão do rock, David Bowie, já provou ser também um cameleão do cinema. O cantor tem participações e colaborações notáveis nas telonas, como o Rei dos Duendes em Labirinto: A Magia do Tempo (de Jim Henson, 1986), John em Fome de Viver (de Tony Scott, 1983) e como ele mesmo em Eu, Christiane F., 13 anos, Drogada e Prostituída (de Uli Edel, 1981). Bowie foi estudante de teatro na juventude e participou de uma série de peças importantes, como por exemplo O Homem Elefante, apresentada na Broadway.

Bowie é conhecido por sua expressividade sempre chocante e muitas vezes mal entendida. O visual e sua música excêntrica formam uma parceria indescritível.

Em trabalhos mais recentes Bowie uniu-se a Floria Sigismondi, que dirigiu The Runaways – Garotas do Rock (2009). A diretora contribuiu para os clipes das faixas The Stars (Are Out Tonight) que conta com a participação de Tilda Swinton e The Next Day, faixa-título do álbum do cantor lançado em 2013.

Mais uma vez trazendo à tona assuntos polêmicos, Bowie apresenta Gary Oldman como um padre que o condena por estar vestido como Jesus, e Marion Cotillard como uma prostituta que é “surpreendentemente” seduzida pelo padre interpretado por Oldman. O ambiente da sedução é estilo igreja-pub, oque só torna o vídeo ainda mais polêmico. O clipe foi censurado pelo Youtube por ter violado as políticas do mesmo.

Ouça e veja também:
The Stars (Are Out Tonight)

21 Guns – Green Day

Do álbum 21st Century Breakdown, 2009
Dirigido por Marc Webb

O mais novo queridinho de Hollywood, Marc Webb, carrega em sua bagagem uma enorme lista de videoclipes. Desde os mainstream’s Miley Cyrus, Pussycat Dolls e Hillary Duff aos mais alternativos como Weezer, She & Him e Regina Spektor, o diretor não brinca em serviço e ganhou o prêmio de Melhor Direção em videoclipes no VMA de 2009 por esse clipe aí de cima, do Green Day. Essa não foi a primeira colaboração do diretor com a banda liderada por Billie Joe. Eles trabalharam juntos nos clipes das faixas Waiting de 2001 e, posteriormente, nas faixas 21st CenturyBreakdown, de 2009. Um ano mais tarde, em Last of the American Girls.

Webb vem ganhando espaço no mercado desde que tomou frente do novo Espetacular Homem-Aranha, em 2012, fazendo da franquia, com Andrew Garfield e Emma Stone, um sucesso. O diretor já havia juntado uma porção de admiradores com o divertido e delicado (500) Dias com Ela (2009).

Encontramos toques de Marc Webb em clipes de músicas bem conhecidas, como Here With Me, do 3 Doors Down; a bonitinha de Um Amor para Recordar (2002), Dare You to Move, do Switchfoot; a famosa Helena, do My Chemical Romance e duas bem conhecidas da banda The All-American Rejects, Gives You Hell e Move Along.

Assista e ouça também:
Move Along
Why Do You Let Me Stay Here?

Bad – Michael Jackson

Do álbum albúm Bad, 1987
Dirigido por Martin Scorsese

É conhecido que o fera, Martin Scorsese é um fã nato de rock & roll, devido sua pequena grande lista de documentários musicais dirigidos no decorrer dos anos rebeldes do aclamado diretor de Taxi Driver (1976).

Grande fã dos Beatles, Rolling Stones, Bob Dylan, Michael Jackson entre outros, Scorsese foi muito bem capaz de documentar grandes apresentações, a vida na estrada e biografias de seus ídolos. Começando por The Last Waltz, de 1978, documentário que registra a última grande apresentação da banda canadense The Band, em São Francisco. Esse foi cheio de polêmicas nos bastidores, envolvendo muito sexo, drogas e rock & roll. Scorsese estava assumidamente viciado em cocaína na época, e junto à outros integrantes e convidados da apresentação fez uso abusivo da droga.

Mais tarde Scorsese trabalhou com Bob Dylan em outro documentário, intitulado No Direction Home, de 2005, e também Living in a Material World, de 2011, que traça uma linha do tempo da vida do ex-beatle George Harrison. Fez também Shine a Light, de 2008, documentário que acompanhou os Rolling Stones nas apresentações no Beacon Theater em Nova York.

Voltando um pouco na linha do tempo, em 1987, Scorsese trabalhou na realização do clipe da canção Bad, do Rei do Pop, Michael Jackson. A versão original do clipe tem 18 minutos e custou mais de um milhão de dólares. Na trama acompanhamos Daryl, interpretado por Michael, um jovem que acabou de se formar no colegial e se encontra com a antiga turma, que tenta trazer de volta o antigo bad boy Daryl. No curta encontramos o ator Wesley Snipes bem novinho, em seu primeiro grande papel na tevê.

Curiosidade: Martin Scorsese apareceu de bobeira no filme da boy band britânica One DirectionThis is Us (2013). Boatos de que Scorsese teria mostrado interesse em participar de uma possível continuação do filme rolam solta por aí. Será?

I Just Don’t Know What to do with Myself – The White Stripes

Do álbum Elephant, 2003
Dirigido por Sofia Coppola

A canção escrita por Buch Bacharach e Hal David, I Just Don’t Know What to do with Myself, já ganhou várias vozes e versões diferentes e deu brilho a uma das cenas mais meigas do cinema, em O Casamento do meu Melhor Amigo (1997), na qual Cameron Diaz solta a voz em um karaoke.

A versão da banda The White Stripes ganhou um clipe dirigido por ninguém mais que Sofia Coppola, a filha do mestre Francis Ford Coppola. Sofia também carrega uma bagagem musical notável, assim como outros integrantes dessa lista. É casada com o francês Thomas Mars, vocalista da banda Phoenix. O casal se conheceu no processo de produção do primeiro filme dirigido por Coppola, As Virgens Suicidas (1999). Depois disso, voltaram a trabalhar juntos em outros projetos da diretora, tais como Encontros e Desencontros (2003), Maria Antonieta (2006) e Um Lugar Qualquer (2010).

Sofia já trabalhou também duas vezes com a banda mais legal de Nova York, The Strokes.  A primeira em Maria Antonieta e a segunda no filme Um Lugar Qualquer, no qual a banda gravou uma versão bem zen de I’ll Try Anything Once. Além dos Strokes, a diretora já dirigiu clipes para as bandas The Flaming Lips, Air e Phoenix, dando aquela mãozinha pro maridão.

Veja e ouça também:
I’ll Try Anything Once
Chloroform

Quem escreveu

Juliana Uzeda
Amante de cinema, roubou para si toda a bagagem cinematográfica da mãe. Fica inspirada e se emociona nos filmes em que vê um pouco de si mesma. É incapaz de escolher um filme favorito. Gosta de ficção científica, fantasia, gângster, máfia, heróis e clichês. Fissurada por personagens neuróticos a la Woody Allen a loucos transtornados a la Kubrick. Aspirante a estudante de cinema, não se imagina fazendo outra coisa (apesar de tentar).
  • Anônimo

    Adorei o artigo e as dicas de música. Parabéns !!!